Falso pastor que aplicou crimes de estelionato em Sergipe é preso no DF

Policial | 16/08/2021 11h08

Em ação conjunta entre a Polícia Civil de Sergipe e a Polícia Militar do Distrito Federal, foi preso um falso pastor, com grande ficha criminal, e investigado por crimes de estelionato em território sergipano e em outros estados do país. O investigado é Alailson Amorim, 41, que foi preso neste sábado (14), em um shopping localizado na cidade de Taguatinga (DF), em cumprimento a mandados de prisão decorrentes da prática de estelionato e furto. Ele também é suspeito de agressões e abusos sexuais contra mulheres com quem se relacionou e aplicou golpes.

Continua depois da publicidade

A ação policial ocorreu em conjunto entre o Departamento de Narcóticos (Denarc), de Sergipe, e o Grupo Tático Operacional do 10º Batalhão (Gtop 30), do Distrito Federal. Com a prisão, a Polícia Civil de Sergipe evitou a fuga do Investigado para a Europa.

A investigação foi conduzida pelo Denarc. Segundo o procedimento investigativo, em fevereiro deste ano, a vítima de Aracaju, um idoso de 62 anos, viu o anúncio de um veículo em um site de vendas pelo valor de R$ 34 mil. Então entrou em contato com o vendedor, que se identificou como Alailson Amorim. No encontro marcado, o investigado se apresentou como juiz de direito e pastor evangélico e afirmou que o carro seria de propriedade de sua esposa.

Segundo o suspeito, objetivo da venda seria o de montar uma igreja. A negociação foi acertada e, após a transferência do dinheiro, todos foram ao cartório do 1º Ofício de Aracaju, onde foi feito o reconhecimento de firma da proprietária do veículo. Conforme o apurado, Alailson ficou de entregar alguns objetos faltantes e, como não o fez, a vítima procurou saber a procedência do carro. Após isso, descobriu que o veículo estava alienado com uma dívida de R$ 18 mil.

Continua depois da publicidade

Segundo a investigação policial, o falso pastor se aproximava das fiéis da igrejas, apossava-se de cartões bancários e senhas para fazer compras, e sumia deixando as vítimas no prejuízo. “Quando ele deixava as mulheres, subtraía também computadores e até roupas íntimas”, disse Melo.

Duas mulheres, que moram no Maranhão e em São Paulo, contaram à polícia que foram vítimas também de cárcere privado. Uma delas disse que foi estuprada.

O delegado Hugo Leonardo destacou que Alailson utilizava perfis falsos para intimidar e ameaçar as vítimas. “Ele mantinha perfis fakes em redes sociais dizendo ter parentes em cargos de destaque como forma de intimidar suas vítimas. Um suposto parente seria juiz federal, um tio policial civil e uma mulher advogada, todos com o sobrenome Amorim. O falso policial realizava postagens difamando as vítimas e ameaçando-as”, detalhou.

Ainda conforme as investigações, Alailson Amorim possui extensa ficha criminal. Foi preso em flagrante no ano de 2012 por ter furtado um veículo em Aracaju; responde por estelionato, ameaça em contexto de violência domestica, cárcere privado e estupro, praticas registradas em 15 de junho deste ano na cidade de Imperatriz/MA. O veículo vendido fraudulentamente, inclusive, pertencia a essa vítima, que o conheceu por meio de redes sociais na cidade maranhense. O suspeito permaneceu com o dinheiro dessa venda, bem como da comercialização de outros bens vendidos sem qualquer autorização da mulher.

Foto: SSP/SE

Alem de Sergipe, crimes semelhantes praticados por Alailson são investigados nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Alagoas, e Maranhão. Espera-se que mais vítimas se sintam encorajadas a procurar as autoridades policiais a fim de registrarem novas ocorrências praticadas pelo suspeito.

Tópicos Destaque, Policial, Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade