Conta de energia fica mais cara a partir desta segunda-feira, 22

Economia e comercio | 22/04/2019 14h07

A partir desta segunda-feira, 22, a conta de energia elétrica dos sergipanos estará mais cara. O reajuste foi aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e deverá ser aplicado pela Empresa Distribuidora que presta estes serviços no Estado, a Energisa Sergipe, que atende a 778,9 mil unidades consumidoras localizadas em 62 municípios sergipanos. O reajuste aplicado varia entre 1,84% a 3,33%.

Para os clientes atendidos em alta tensão, os consumidores industriais, o reajuste médio será de 1,85%. Já para os consumidores atendidos em baixa tensão – residenciais e comerciais – o reajuste médio será de 3,33%. A gerência comercial da empresa lembrou que o reajuste ficou abaixo da inflação, que foi de 4,58%.

Continua depois da publicidade

Mais informações sobre reajustes tarifários podem ser consultadas no endereço eletrônico www.aneel.gov.br, no link entendendo a tarifa, e no aplicativo Aneel Consumidor, disponível para dispositivos móveis Android ou IOS.

Cálculos

Ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a Agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço, conforme explicações da própria Aneel. O pagamento do empréstimo da Conta ACR e ajustes em rubrica (retirada CDE Decreto, redução CDE Uso) da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) contribuíram para reduzir o reajuste em aproximadamente – 4,03%.

A Conta-ACR foi um mecanismo de repasse de recursos às distribuidoras para cobertura dos custos com exposição involuntária no mercado de curto prazo e o despacho de termelétricas entre fevereiro e dezembro de 2014. A quitação antecipada da Conta-ACR foi anunciada em (20/3) durante entrevista coletiva realizada na sede da Aneel, em Brasília.

A diretora Elisa Bastos destacou as ações da Agência para desoneração das tarifas, e que tiveram impacto positivo para a redução do índice tarifário da Energisa Sergipe, como a quitação do empréstimo da Conta ACR e o apoio à redução de subsídios na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

Na sequência, a diretora chamou atenção ao peso dos tributos no preço final da conta de luz: “Os tributos passam a responder por mais de um quarto da fatura de energia, superado em termos de custos apenas pela compra de energia, que, considerados os tributos, deixa de responder pela metade (49,5%) da fatura para responder por pouco mais de um terço (36,3%)”.

Com informações da Ascom Aneel

Tópicos Destaques, Economia e comercio, Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade