Combate ao Aedes: em maio, Campo do Brito e 10 municípios recebem força-tarefa do Governo do Estado

Campo do Brito | 03/05/2017 21h14

Durante todo o ano o Governo de Sergipe realiza ações de combate ao mosquito Aedes aegypt. Por meio da Brigada Itinerante, força-tarefa gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da Fundação Estadual de Saúde (Funesa), este combate é feito diariamente na capital e em municípios do interior. Em maio, a programação inclui 11 cidades de diversas regiões.

Continua depois da publicidade

De acordo com o diretor-geral da Funesa, Adriel Alcântara, a agenda da Brigada é montada conforme os índices de infestação do Aedes, mas há solicitações de visitas da força-tarefa realizadas pelos próprios municípios. “Pelo menos dez municípios são atendidos por mês pelos brigadistas, que fazem um trabalho de eliminação ou tratamento dos possíveis criadouros do mosquito”, informou.

Segundo a Coordenação de Prevenção e Promoção à Saúde (Copps/Funesa), os municípios dentro da agenda do mês de maio são: Frei Paulo, Cristinápolis, Pirambu, Campo do Brito, Macambira, Pinhão, Estância, Maruim, Ribeirópolis, Santana do São Francisco e Pedrinhas. Os agentes de combate às endemias percorreram o município de Frei Paulo. A semana é finalizada em Cristinápolis, amanhã, dia 4, e sexta-feira, dia 5.

Índices de infestação

Continua depois da publicidade

Adriel Alcântara explicou que Cristinápolis está em estado de alerta quanto à infestação do vetor que transmite dengue, chikungunya e zika vírus. “Este município apresenta hoje um Índice de Infestação Predial, o IIP, de 3,10, sendo que acima de 3,9 já é considerado de alto risco de infestação”, alertou.

Outra alerta feito pelo diretor-geral foi em relação ao município de Pedrinhas, que apresentou o último IIP de 2,30. “Apesar do índice ser classificado como alerta, Pedrinhas saiu da classificação de alto risco. Ano passado, o índice era de 5,40, um dos mais elevados do estado”, afirmou.

Segundo ele, o trabalho da Brigada tem contribuído bastante para a redução dos índices de infestação do Aedes nos municípios sergipanos. “O trabalho dos agentes municipais de combate às endemias somado ao dos agentes estaduais, uma prioridade do secretário Almeida Lima e do governador Jackson Barreto, tem surtido efeito”, avaliou.
Redução de casos

O primeiro trimestre do ano de 2017 apresentou uma acentuada redução de casos notificados de doenças como dengue, chikungunya e zika em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados dos informes epidemiológicos emitidos pela SES mostraram uma diminuição de aproximadamente 90%. Em relação aos casos de microcefalia, este ano foram apenas duas notificações, mas que já foram descartadas.

Ascom SES/SE
Tópicos Campo do Brito, Destaques, Saúde
Mais Recentes
Comentários
Publicidade