Combate ao Aedes: em maio, Campo do Brito e 10 municípios recebem força-tarefa do Governo do Estado

Campo do Brito | 03/05/2017 21h14

Durante todo o ano o Governo de Sergipe realiza ações de combate ao mosquito Aedes aegypt. Por meio da Brigada Itinerante, força-tarefa gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da Fundação Estadual de Saúde (Funesa), este combate é feito diariamente na capital e em municípios do interior. Em maio, a programação inclui 11 cidades de diversas regiões.

De acordo com o diretor-geral da Funesa, Adriel Alcântara, a agenda da Brigada é montada conforme os índices de infestação do Aedes, mas há solicitações de visitas da força-tarefa realizadas pelos próprios municípios. “Pelo menos dez municípios são atendidos por mês pelos brigadistas, que fazem um trabalho de eliminação ou tratamento dos possíveis criadouros do mosquito”, informou.

Continua depois da publicidade

Segundo a Coordenação de Prevenção e Promoção à Saúde (Copps/Funesa), os municípios dentro da agenda do mês de maio são: Frei Paulo, Cristinápolis, Pirambu, Campo do Brito, Macambira, Pinhão, Estância, Maruim, Ribeirópolis, Santana do São Francisco e Pedrinhas. Os agentes de combate às endemias percorreram o município de Frei Paulo. A semana é finalizada em Cristinápolis, amanhã, dia 4, e sexta-feira, dia 5.

Índices de infestação

Adriel Alcântara explicou que Cristinápolis está em estado de alerta quanto à infestação do vetor que transmite dengue, chikungunya e zika vírus. “Este município apresenta hoje um Índice de Infestação Predial, o IIP, de 3,10, sendo que acima de 3,9 já é considerado de alto risco de infestação”, alertou.

Outra alerta feito pelo diretor-geral foi em relação ao município de Pedrinhas, que apresentou o último IIP de 2,30. “Apesar do índice ser classificado como alerta, Pedrinhas saiu da classificação de alto risco. Ano passado, o índice era de 5,40, um dos mais elevados do estado”, afirmou.

Continua depois da publicidade

Segundo ele, o trabalho da Brigada tem contribuído bastante para a redução dos índices de infestação do Aedes nos municípios sergipanos. “O trabalho dos agentes municipais de combate às endemias somado ao dos agentes estaduais, uma prioridade do secretário Almeida Lima e do governador Jackson Barreto, tem surtido efeito”, avaliou.
Redução de casos

O primeiro trimestre do ano de 2017 apresentou uma acentuada redução de casos notificados de doenças como dengue, chikungunya e zika em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados dos informes epidemiológicos emitidos pela SES mostraram uma diminuição de aproximadamente 90%. Em relação aos casos de microcefalia, este ano foram apenas duas notificações, mas que já foram descartadas.

Ascom SES/SE
Tópicos Campo do Brito, Destaques, Saúde
Mais Recentes
Comentários
Publicidade