TCE reúne 50 prefeitos eleitos e orienta sobre a boa gestão municipal

Política | 10/12/2016 12h44

Cerca de 50 dos 75 prefeitos eleitos nos municípios sergipanos estiveram no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) nesta sexta-feira, 9, para conhecer ou aprimorar seus conhecimentos sobre os principais temas com os quais irão lidar nos próximos quatro anos.

Continua depois da publicidade

Foi a primeira edição do Seminário de Gestão Municipal, cujo público total, com o acréscimo dos assessores e vereadores presentes, chegou aos 387 participantes. No encerramento, num discurso mais filosófico, intitulado “Civilização e barbárie”, Clóvis Barbosa cobrou responsabilidade de todos e relacionou a violência do Brasil à corrupção e à falta de investimento na educação.

“Parece que estamos involuindo, não conseguimos avançar até a civilização e estamos voltando à barbárie”, disse, citando conceitos do filósofo Claude Lévi-Strauss, segundo o qual o Brasil “é o único lugar que passou da barbárie à decadência sem conhecer a civilização”.

“Lula fez um extraordinário governo, mas cometeu um erro: o de promover o crescimento pelo consumo e não pela educação”, afirmou, citando que o Brasil, que viveu de golpe em golpe, agora caiu num contragolpe: “Criaram uma crise política, transformaram numa crise econômica, derrubaram o governo e agora não conseguem resolver a crise que criaram”.

E citando Darcy Ribeiro — “Nós temos uma das elites mais opulentas, anti-sociais e conservadoras do mundo” —, Clóvis Barbosa encerrou apelando aos gestores municipais para a questão da educação: “Darcy Ribeiro fez em 1982 uma conferência dizendo que, se os governadores não construíssem escolas, em 20 anos faltaria dinheiro para construir presídios. A ‘profecia’ dele se concretizou, mas nós podemos mudar isso, se nos preocuparmos em tratar a coisa pública com seriedade e investirmos em educação”. Foi muito aplaudido.

Busca de orientação

O Primeiro Seminário de Gestão Municipal foi para os gestores que iniciarão seus mandatos em 1º de janeiro de 2017 uma oportunidade de buscar a orientação que veio por meio de explanações acerca de aspectos fundamentais da gestão pública, como Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), Lei da Transparência, o papel das controladorias, licenciamento ambiental, Plano Diretor, captação de recursos, entre outros.

Uma diversidade de abordagens que foi destacada pelo público. “O Tribunal de Contas está sendo pioneiro nesta ação, dando oportunidade para que nós gestores, num pequeno espaço de tempo, tenhamos contato com várias instituições importantes e assim possamos mudar a realidade das nossas cidades”, afirmou o prefeito eleito de Aquidabã, Mario Lucena.

Eleito para comandar o município de Ribeirópolis, o ex-deputado estadual Antônio Passos disse esperar que outros eventos semelhantes sejam realizados: “É bom para as prefeituras se atualizarem com a realidade do nosso país e tudo isso faz com que as administrações sejam mais democráticas”, colocou.

Já o município de Capela terá como prefeita Silvany Sukita, que também esteve presente no Seminário. “Foi de fundamental importância para nos orientar sobre como iniciar uma gestão eficaz e de excelência, justamente nos princípios da transparência e responsabilidade com o erário”, concluiu.

O evento conta com a parceria do Sebrae e Universidade Federal de Sergipe (UFS) e teve o apoio dos ministérios públicos Estadual, Federal e de Contas, a Ordem de Advogados do Brasil (OAB/SE), Tribunal de Contas da União (TCU), as controladorias gerais do Estado e da União, IBGE, Instituto Euvaldo Lodi (IEL), além da Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste, Banco do Brasil e Banese.

Fonte: Ascom TCE/SE

Tópicos Política, Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade