Professores da UFS decidem entrar em greve

Educação | 02/12/2016 11h36

Os professores da Universidade Federal de Sergipe decidiram deflagrar greve. Em assembleia nesta quinta-feira, 1, foram 177 votos a favor, 165 contra e apenas uma abstenção.

A greve é por tempo indeterminado, mas após a votação da PEC 55, prevista para acontecer no dia 13 de dezembro, os docentes avaliarão a manutenção ou não da paralisação.

Continua depois da publicidade

A aprovação da greve é uma resposta negativa à PEC 55, que tramita no Senado Federal e limita os investimentos em diversas pastas, inclusive educação; e à MP 746, que dispões sobre as novas diretrizes e bases curriculares do Ensino Médio.

A diferença de apenas 12 votos demonstra que os professores se mantiveram divididos em relação à aprovação da paralisação das aulas. Jeison Oliveira, docente e membro da Adufs, legitima a manifestação. “Com a aprovação da PEC 55, será muito difícil que a universidade pública continue de qualidade e pública para a sociedade brasileira. Não vejo outra maneira de reivindicar a não ser a greve. Várias conquistas foram adquiridas desta forma”, defende.

Alguns professores questionam a greve, como o professor Marcos Cabral. “Acho que não é oportuna. É por uma causa difusa, com difícil sustentação, ditada por uma facção política, e não pela categoria”.

Com informações da Infonet

Tópicos Educação, Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade