Professoras (es) de Campo do Brito, Cristinápolis, General Maynard e Santo Amaro são recebidos por conselheiro do TCE

Campo do Brito | 06/07/2016 19h24

Educadoras e educadores das cidades de Campo do Brito, Cristinápolis, General Maynard e Santo Amaro tiveram audiência com o conselheiro do Tribunal de Contas de Sergipe – TCE/SE, Carlos Augusto Sobral. Eles foram apelar ao membro da corte de contas ajuda no sentido de acionar os municípios, através de medidas cautelares e bloqueio de contas, para que cumpram a Resolução 295/2016 do TCE.

(Foto: Sintese)

Continua depois da publicidade

“O cenário de atraso e /ou parcelamento dos salários tem sido constante desde o ano passado e a cada dia vemos a situação se agravar e o motivo não é falta de recursos, mas sim de um total desrespeito ao funcionalismo público municipal”, aponta Sandra Moraes, diretora do Departamento de Assuntos das Bases Municipais do SINTESE.

Os professores colocaram para o conselheiro que o atraso no pagamento dos salários tem causado problemas não somente para os educadores (as) e suas famílias, mas também para os comerciantes locais.

“O problema não é de recursos, pois a folha de pagamento da Educação (professores e servidores) é em torno de R$700 mil e, somente em junho, as receitas somam mais de 1 milhão, falta vontade política do gestor em cumprir com suas obrigações e valorizar os servidores públicos”, disse Sandra Oliveira, delegada sindical no município de Cristinápolis.

O conselheiro garantiu aos professores que tomará as providências necessárias o mais rápido possível, inclusive, colocando a possibilidade de que sejam feitas inspeções nestes municípios.

*Fonte: Sintese

Tópicos Campo do Brito, Educação
Mais Recentes
Comentários
Publicidade