Ponto de Vista – Edição 01

Ponto de Vista | 12/04/2013 19h40 - Atualizada às 12/04/2013 21h44

Nosso Ponto de Vista

Qual o papel da imprensa? É a imprensa o quarto poder? Estas e outras indagações norteiam rodas de discussões sobre o papel da imprensa e sobre o ato de informar.

Continua depois da publicidade

Entendendo a relevância do papel da imprensa e no intuito de oferecer aos internautas um espaço para o debate democrático e construtivo, estabelecemos uma parceria com os sites Galerafest e Centralfest e assinamos a partir desta primeira edição, a Coluna ‘Ponto de Vista’, com atualização semanal e tendo como foco o que acontece em Campo do Brito e região.

Estaremos em cada edição analisando os fatos mais relevantes de nossa cidade e da região. Com linguagem clara e objetiva, vamos promover um debate esclarecedor e inteligente em torno dos principais acontecimentos. A nossa Coluna vai discutir o assunto da semana; pequenos recortes de notícias e uma entrevista especial. Vamos destinar um espaço para o leitor, onde deverão estar apresentados os seus comentários, desde que atendam às regras das políticas dos sites.

A Coluna ‘Ponto de Vista’ tem a pretensão de oferecer aos nossos leitores-internautas um espaço diferente e inovador, com vistas à promoção das pessoas, do município e da região. Este será o espaço do encontro, o espaço da crítica, da sugestão, do respeito à controvérsia. Tudo isso, pautado no respeito e na urbanidade.

A democracia que abraçamos é aquela que supera a adversidade e une os homens para que todos sejam um. Confiantes em Deus, temos a convicção de que estamos apenas no começo. Mas estamos prontos e felizes para enfrentarmos o desafio. E tenham certeza: “Vivem somente os que lutam!” E nós lutamos e lutaremos sempre limpos. Sem a capacidade de compreender a crítica, não cabe o elogio sincero!

Josival Bezerra

A Semana é de…

Paulo César Lima, Luce Cássia Nascimento e Pedro Caio

A coluna abre o espaço e discute um tema de grande relevância: a adoção. Um gesto nobre deste casal e que orgulhou a todos que acreditam que todo ser humano merece uma oportunidade e merece viver em sua plenitude. A Coluna presta justíssima homenagem pela nobreza do gesto!

A adoção primeiramente é um verdadeiro ato de amor, já que a decisão em adotar gera muitas inseguranças e medos. Esta difícil e nobre decisão é como se fosse uma gestação. Em primeiro lugar os pais devem gerar este ser dentro de seus corações, amadurecer o amor para doá-lo na mesma proporção e ter bastante estabilidade psicológica para superar alguns desafios que poderão surgir ao longo da burocracia que envolve os processos jurídicos que exigem uma adoção.

Em seguida o lar todo deve estar altamente preparado para receber com todo o carinho e amor esta criança. O que move a vontade em adotar uma criança é justamente o amor em querer gerar um filho e não ser capaz. Um ato de grande coragem, sem nenhum tipo de preconceito, com total responsabilidade por aquele novo ser que ingressará na família, que deve ter gerado em si também a mesma vontade em amar alguém que vive à espera de uma chance e oportunidade para ser feliz.

A frustração por nunca ter gerado um filho pode ser curada através deste ato sublime, de inigualável valor que é o desprender-se de si mesmo para poder doar o amor no mais extremo de seu significado. Adotar é o mesmo que se doar, sem medir as consequências, sem se importar com os julgamentos e preconceitos que podem surgir no decorrer de toda a história de vida do casal que decidir fazer isto. Adotar significa nada mais nada menos a prática de um amor sem limites, amor este que deve guiar os caminhos para que ela de fato aconteça e permeie por toda a história de vida que envolverá a futura família que soube compreender a grandeza de um gesto sublime. Salve, Pedro Caio!

Projeto Cidades Digitais

Campo do Brito na era da inclusão digital. A Prefeitura Municipal, através das secretarias da Comunicação e do Desenvolvimento Econômico construíram a proposta de adesão ao projeto Cidades Digitais, do Ministério das Comunicações, do governo federal.

O Projeto Cidades Digitais tem o objetivo de modernizar a gestão e o acesso aos serviços públicos no município por meio de construção de redes de fibras óticas que possibilitam a conexão entre órgãos públicos, o acesso da população a serviços de governo eletrônico e a espaços de uso da internet.

Com a efetivação do projeto, o cidadão britense poderá acessar livremente a Internet nas Praças Boa Hora e Benvindo Ribeiro (Usina), através da rede Wifi. A proposta foi encaminhada no dia 05 de abril.

Animais soltos

Mesmo com o apelo da prefeitura, alguns proprietários de animais insistem em manter os bichos soltos por ruas e praças da cidade. Não sabendo eles, que animais soltos podem causar acidentes graves. Medidas mais severas devem ser empreendidas contra estes teimosos. Fica a dica!

A Volta do Coreto

Há uma proposta em discussão na administração do Prefeito Léo Rocha a respeito da Reconstrução do antigo Coreto da Praça Boa Hora. Uma ideia interessante e que merece os aplausos de toda a população.

Baile das Mães

E tem festa boa sendo organizada em homenagem às mães de Campo do Brito. O site Centralfest e a Elo Comunicação realizam no dia 11 de maio, no Colégio Estadual Francisco Paixão, o Baile das Mães, com a participação do Grupo Musical ‘Tom Sobre Tom’, que tem a frente o casal Nivaldo e Juarina. A festa começa às 21 horas, com sorteios de presentes e muita animação. Mesas à venda com Daniel Tavares e Marques (Centralfest). Vamos marcar na agenda, galera!

Cala a boca, Magda!

Chega a ser ridícula a qualidade ortográfica de alguns textos publicados em alguns sites e blogs de nossa cidade, postados por um ‘intelectual’ britense. Vou marcar na minha agenda a data do aniversário do rapaz, e vou presenteá-lo com a Novíssima Gramática do professor Evanildo Bechara. Oremos!

O que você pensa sobre…

Nesta primeira edição, vamos reproduzir uma brilhante entrevista do Prefeito Léo Rocha, concedida à jornalista Maíra Ribeiro, do Jornal Correio de Sergipe, publicada no dia 07 de abril. Na entrevista, Léo Rocha fala sobre as dificuldades enfrentadas nesta primeira fase da administração municipal. Confira!

1. Correio de Sergipe – O que o fez pleitear o cargo majoritário?

Léo Rocha: Fui candidato a prefeito para protagonizar em parceira com o meu povo, a construção efetiva de um Novo Tempo para Campo do Brito. Faremos isso com trabalho e responsabilidade.

2. Correio de Sergipe – Como o senhor avalia a última gestão municipal?

Léo Rocha: A minha avalição é a mesma da população, em determinado momento funcionou e depois se perdeu em si mesma. Não ousaram, não empreenderam e não buscaram as parcerias necessárias para o engrandecimento do município. Assumir um município com dificuldades como o nosso, requer do gestor, coragem e disposição, elementos que faltaram na gestão anterior. Nepotismo, clientelismo e descaso com a coisa pública não devem ser uma constante numa administração municipal.

3. Correio de Sergipe – O senhor buscará apoio do Governo do Estado e federal para conseguir recursos para o município?

Léo Rocha: Assim que ganhamos a eleição, em outubro, viajamos a Brasília para nos inteirarmos sobre os projetos e programas que pudessem ser implantados em Campo do Brito. Neste ano, já viajamos duas vezes e conseguimos trazer alguns projetos e obras para o município. Sem a parceria dos governos estadual e federal, não chegaremos a lugar algum. Somos deficientes em arrecadação, sobrevivemos com o repasse do FPM, que não dá para resolver todos os problemas. Onde tiver recurso, iremos buscá-los. Não serei um prefeito omisso, estarei atento e sempre disposto.

4. Correio de Sergipe – Na última semana Sergipe recebeu o ministério no Encontro com prefeitos. Qual sua avaliação deste encontro?

Léo Rocha: Não estive presente neste evento, em virtude de uma viagem a Brasília para a assinatura de convênios junto aos ministérios da Saúde e da Educação. Mas posso afirmar que estes eventos são importantes, desde que acompanhados de resultados práticos. Enviamos ao encontro, 04 secretários municipais que afirmaram o quanto foi proveitoso participar, uma vez que receberam informações e orientações sobre projetos e programas que podem ser pleiteados pelos municípios, junto ao governo federal.

5. Correio de Sergipe – Campo do Brito está preparado para enviar Projetos a fim de receber recursos para efetivação de obras?

Léo Rocha: Sim. Nessa sexta-feira, dia 05, recebemos em nosso gabinete, técnicos, arquitetos e alguns secretários, onde discutimos exaustivamente a realização de obras que foram conseguidas, através de emendas parlamentares, a serem liberadas pelo governo federal. Estamos desenvolvendo projetos para as áreas da educação, da saúde, do turismo e lazer e da infraestrutura. Em breve espaço de tempo, enviaremos uma série de projetos a Brasília e buscaremos a bancada federal de Sergipe para a liberação. Uma importante ação neste quesito, foi o envio da proposta de adesão do município, através do Ministério das Comunicações, ao projeto Cidades Digitais, uma elaboração conjunta das secretarias municipais do Desenvolvimento Econômico e da Comunicação.

6. Correio de Sergipe – Como estão os cofres de Campo do Brito? Tem certidão negativa?

Léo Rocha: A questão da certidão negativa foi a nossa primeira luta e depois de muito esforço, conseguimos habilitar o município para a efetivação de parcerias juntos aos governos estadual e federal. O município que sobrevive apenas com o FPM, sempre estará em situação de risco. Tudo deve ser feito dentro de um planejamento para não comprometermos os salários dos servidores e a manutenção dos serviços essenciais. Dai a importância de estabelecer as parcerias e preparar os projetos para a aquisição dos recursos.

7. Correio de Sergipe – No município há muitas obras inacabadas? O que o senhor pretende fazer?

Léo Rocha: As obras inacabadas serão retomadas. Estamos avaliando projeto por projeto. Em breve espaço de tempo, estaremos colocando à disposição da população estes projetos, a exemplo da Creche Pró-Infância e do Posto de Saúde do Povoado Garangau.

8. Correio de Sergipe – Quais obras estruturantes estão em seu Plano de Governo e que já há perspectiva de virarem realidade?

Léo Rocha: Pavimentação asfáltica de ruas e avenidas da cidade; Construção da Orla da Barragem, transformando aquele espaço, em ponto de atração turístico do município e região; Construção de uma Praça de Multieventos; Revitalização da Praça Boa Hora, cartão-postal de nossa cidade; Pavimentação de Ruas e Construção de Praças na área urbana e na área rural do município.

9. Correio de Sergipe – O que já foi possível fazer em pouco mais de três meses de gestão?

Léo Rocha: Aquisição de uma retroescavadeira, junto ao governo federal; Regularização de todas as obrigações fiscais, permitindo ao município estabelecer parcerias com os órgãos federais e estaduais; Pagamento em dia do salário dos servidores municipais; Criação da campanha do IPTU 2013; Recepção ao grupo do Projeto Rondon; Realização do Carnaval da Barragem; Realização do mutirão da limpeza na cidade; Ações emergenciais sobre a questão da iluminação pública no município; Limpeza e colocação em funcionamento dos poços artesianos; Manutenção das estradas vicinais do município; Aquisição do prédio do antigo Fórum do TRE, localizado na Praça Boa Hora, junto ao Tribunal de Justiça. O espaço abriga algumas secretarias municipais; Realização da Semana de Saúde da Mulher, onde promovemos atividades saudáveis, palestras, atendimentos médicos e exames, em especial, exame de lâmina e de Mama; Na Semana Santa, a Prefeitura fez a entrega de 1.000 cestas básicas, incluindo o peixe, para as famílias carentes do município. Esta ação é realizada pela secretaria da assistência social e com o apoio dos Agentes Comunitários de Saúde; Realização da Festa de São José, na Serra dos Montes; Regularização de parte dos salários atrasados do mês de dezembro de 2012, herança da administração anterior e o pagamento do Piso do Magistério.

10. Correio de Sergipe – Quais projetos o senhor pretende colocar em prática ao curto prazo?

Léo Rocha: Tocar as obras que estão paralisadas; manter em dia o salário dos servidores; garantir ao professor, o pagamento do piso nacional; oferecer aos nossos estudantes uma educação de qualidade e garantir uma saúde pública de qualidade para todos. O nosso propósito é construir um Novo Tempo para o povo de Campo do Brito.

11. Correio de Sergipe – De que forma a insegurança em Campo do Brito será sanada?

Léo Rocha: Sabemos que a segurança pública é dever do estado, mas o município pode oferecer a sua contribuição. Temos um projeto que está em fase de estudo e análise: a constituição da Guarda Municipal Cidadã, no objetivo de ampliar o trabalho que vem sendo desempenhado pelas polícias civil e militar, baseadas em nosso município.

12. Correio de Sergipe – Como está a relação com a Câmara de Vereadores?

Léo Rocha: A relação com a Câmara de Vereadores é pautada pelo respeito e pelo exercício pleno da democracia. São onze vereadores, dos quais, 07 fazem parte da bancada de sustentação do prefeito. Independente de contarmos com a maioria, a Câmara de Campo do Brito e os seus vereadores merecem o nosso profundo respeito e o tratamento devido. Ali é a casa do povo. É a caixa de ressonância dos reclames da população.

13. Correio de Sergipe – A valorização do funcionalismo é sua prioridade?

Léo Rocha: Sem dúvidas, nestes três meses de administração promovemos mais encontros com o SINDIBRITO e o SINTESE do que em oito anos da administração passada. Acredito que o diálogo é a caminho para todo entendimento. E sempre faremos e agiremos desta forma, sentando e discutindo em busca de objetivos mútuos.

14. Correio de Sergipe – Como tem sido o diálogo com SINTESE?

Léo Rocha: A nossa relação com o SINTESE é harmoniosa e sempre pautada no diálogo e no respeito aos seus representantes. Como afirmei, nestes 100 dias de administração, mantemos um diálogo franco e aberto com qualquer categoria dos servidores do município.

15. Correio de Sergipe – Qual a sua atual relação com a oposição?

Léo Rocha: A oposição quando exercida com responsabilidade, pode contribuir com a administração. A oposição em Campo do Brito foi avaliada pela população e o resultado foi a nossa consagração no último pleito eleitoral.

16. Correio de Sergipe – Como o senhor pretende ver Campo do Brito daqui a quatro anos?

Léo Rocha: Uma cidade próspera, segura e feliz, com um povo trabalhador e hospitaleiro. Em 2016 quero dizer ao nosso povo, muito obrigado por me oportunizar ser o protagonista de um projeto que construiu um Novo Tempo em Campo do Brito. Esta será a nossa intenção. Esta será a nossa determinação. Este será o nosso compromisso.

Espaço do Leitor

Deixe aqui o seu recado, desde que atenda às regras da política do site.

Tópicos Ponto de Vista
Mais Recentes
Comentários
Publicidade