Mulher é presa quase 20 anos depois de ter assassinado um PM em Sergipe

Policial | 13/06/2018 11h51

Quase 20 anos depois de matar um policial militar com o qual tinha um relacionamento, uma mulher foi presa em flagrante no Guarujá (SP) com documentação falsa. Segundo informações da Polícia Civil de São Paulo, ela admitiu ter matado o policial e disse que tinha convicção que nunca seria pega por conta da mudança de documentos.

Na versão dela, o casal brigava muito e em um desses conflitos (em 1998) o policial, que tinha relacionamento com ela, a ameaçou, dizendo que iria matá-la. Segundo ela, após a ameaça, pegou o revólver dele e o matou com vários tiros.

O crime prescreveria em 18 de novembro deste ano, mas a atuação das equipes de identificação e policiais possibilitou que o homicídio pudesse ser elucidado.

Após o crime, a mulher se mudou para São Paulo e utilizou a certidão verdadeira da irmã, de Sergipe, e com ela conseguiu retirar novos documentos naquele estado, onde casou novamente. Com um detalhe, o nome da irmã é Sandra, ela acrescentou algumas letras antes e passou a se chamar Alessandra. O nome verdadeiro dela é Shirleide Fernanda, com base no registro dela no Instituto de Identificação de Sergipe.

Continua depois da publicidade

A localização ocorreu com auxílio do Instituto de Identificação de Sergipe e DHPP, Polícia Civil de SP.

Informações da SSP/SE

Tópicos Destaques, Policial
Mais Recentes
Comentários
Publicidade