Polícias Civil e Militar prendem mulher com 165Kg de entorpecentes

Policial | 05/10/2017 14h22

Após uma semana de investigação, oriunda de uma informação anônima, policiais civis do Departamento de Narcóticos (Denarc) e policiais militares do Grupo de Ações Táticas do Interior (Gati), prenderam em Boquim, uma mulher de 40 anos, acusada de tráfico de drogas.

Foto: SSP/SE

Logo após averiguações, as equipes policiais chegaram até uma casa alugada pela mulher, localizada no bairro Getúlio Vargas, na capital sergipana. Segundo o coordenador do Denarc, delegado Osvaldo Resende, o local foi alugado pela acusada e funcionava como ponto de estocagem dos entorpecentes. “A investigação começou a partir do Disque-Denúncia 181. Nos unimos mais uma vez com a Polícia Militar até localizarmos a casa no bairro Getúlio Vargas. A residência servia como ponto de receptação de drogas e posteriormente eram distribuídas para traficantes da Grande Aracaju”.

Na casa foram apreendidas 165kg de maconha, que de acordo com as informações preliminares, teriam vindo do Paraguai. “Informações iniciais constam que a droga veio do Paraguai. A perícia vai analisar o perfil químico da droga e vamos averiguar o perfil itinerário do entorpecente para confirmar se realmente ela veio do Paraguai”, relata o delegado.

Continua depois da publicidade

Além das drogas, foram apreendidas uma balança digital, celulares, bilhetes de passagens aéreas, mapas com rotas de tráfico internacional, rolos para embalar a droga, além de um veículo Corsa de cor prata com restrição de roubo e placa clonada.

“No momento da prisão ela não apresentou nenhuma resistência e nem ficou surpresa. Parece que ela já vivia na expectativa que a qualquer momento poderia ser presa com a grande quantidade de entorpecentes”, explica o major George Melo.

O delegado ainda ressalta a importância da colaboração da sociedade. “Uma simples ligação dá início a grandes investigações e apreensões. Contamos com o apoio da população em várias investidas no combate ao tráfico que sempre tem realizado ligações anônimas por meio do Disque-Denúncia 181. Com isso, estamos batendo recordes de apreensões de drogas e a polícia segue fazendo sua lição de casa”.

“Um trabalho integrado e bem coordenado pelas duas instituições com a finalidade de retirar esses entorpecentes de circulação e que prejudica a sociedade”, finaliza o major.

A acusada foi encaminhada ao Denarc, onde confessou parte do crime. Ela será apresentada hoje, 05, em audiência de custódia. As investigações continuam a fim de verificar como o crime era praticado e identificar os envolvidos.

*Com informações da SSP/SE

Tópicos Destaques, Policial, Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade