Sergipe vai receber Plano Nacional de Segurança a partir de fevereiro

Sergipe | 09/01/2017 08h48

Aracaju é uma das três primeiras capitais do país a receber a partir do mês de fevereiro o Plano Nacional de Segurança (PNS). A informação foi oficialmente pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, na tarde desta sexta-feira (6), em Brasília, e divulgada pela Secretaria de Comunicação do Estado (Secom).

O plano elaborado pelo governo federal com auxílio dos Estados objetiva uma redução anual dos homicídios em 7,5% nas capitais e cidades de regiões metropolitanas; aumento na celeridade das investigações e processos em 20% nas capitais e cidades de regiões metropolitanas.

O plano prevê ainda ter informações completas e detalhadas, em tempo real, de todo o sistema penitenciário até dezembro; reduzir a superlotação nos presídios em 15% até 2018; aumentar em 10% a quantidade de drogas e armas apreendidas em 2017 e aumentar em 15% a quantidade de drogas e armas apreendidas em 2018. O governador Jackson Barreto lembrou que a implantação do Plano foi acertada por ele com o ministro da Justiça em audiências. “A segurança pública é uma de nossas preocupações. Temos investido muito na segurança, equipando as polícias, aumentando o efetivo das corporações e precisamos do apoio do governo Federal para reduzir os índices de violência”, disse o governador.

Além da capital sergipana, Natal e Porto Alegre também foram escolhidas para iniciarem o PNS próximo mês. A seleção dos municípios tem relação com o número de homicídios que cada umas das localidades possui. Segundo o ministro, 31% dos homicídios no país são registrados em capitais e em 2018, o Plano será estendido para regiões metropolitanas. Somados com municípios limítrofes, serão 209 municípios [em 2018], que representam 54% dos homicídios do país. Isso dá em torno de 6% do território nacional. Será nesses municípios que nossa inteligência vai atuar.

Continua depois da publicidade

No total, serão liberados até R$ 2,9 bilhões para os Estados investirem em segurança. Entre as medidas que o governo federal quer colocar em prática com o PNS estão: ampliar o efetivo da Força Nacional de Segurança, auxiliar os Estado com perícia criminal, aumentar o número de câmeras de monitoramento em rodovias (de 98 para 935), e implantar a radiocomunicação digital para um combate mais efetivo ao tráfico de drogas nas fronteiras.

“O Governo do Estado está pronto desde o ano passado para receber o Plano Nacional de Segurança. Já fizemos todo o dever de casa junto ao Ministério da Justiça e agora aguardamos o envio da Força Nacional, os investimentos na área do sistema prisional e outras ações previstas no Plano. O sistema prisional, já junto com o novo secretário de Justiça, Cristiano Barreto, também terá ações direcionados pelo Plano Nacional”, afirmou o secretário de Segurança Pública do Estado, João Batista.

Agência Brasil

Tópicos Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade