Sintese formaliza denúncia ao TCE contra 20 prefeitos que deixaram salários em atraso

Educação | 06/01/2017 20h05

Dirigentes municipais do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Sergipe (Sintese) reuniram-se na manhã desta sexta-feira, 6, com o presidente do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), Clóvis Barbosa de Melo, para formalizarem reclamação de que 20 municípios ainda não pagaram o salário do mês de dezembro. Alguns municípios ainda devem parcelas de salários de meses anteriores.

Prefeitos reeleitos e ex-prefeitos informaram ao Tribunal de Contas que os salários seriam pagos até o final do ano de 2016 e alguns deles justificaram que deixaram o dinheiro em caixa, mas que no dia 30 (data do pagamento da folha) foi feriado bancário. O Sintese garante que há, sim, recurso em caixa, pois a verba do Fundeb já está nos cofres das prefeituras, assim como os recursos da repatriação.

Depois de ouvir as reivindicações dos representantes sindicais de cada município onde o salário não foi pago — Aquidabã, Arauá, Canindé de S. Francisco, Gararu, Graccho Cardoso, Indiaroba, Itaporanga d’Ajuda, Lagarto, Maruim, Pinhão, Poço Verde, Propriá, Riachão do Dantas, Rosário do Catete, Salgado, Santana do S. Francisco, Santa Rosa de Lima, Santo Amaro das Brotas, Telha e Tomar do Geru —, o presidente decidiu se reunir mais uma vez com os professores na próxima quarta-feira, 11, após confirmar os dados do Fundeb e analisar a questão do feriado bancário, inclusive, cruzando informações com a Operação Antidesmonte, coordenada pelo Ministério Público do Estado.

“Marcamos nova reunião, oportunidade na qual teremos todos os dados relativos aos recursos de Fundeb, o quanto cada um desses municípios recebe mensalmente e, como também, teremos acesso às contas. Então, poderemos verificar o porquê desses municípios não pagarem a folha de dezembro. Também é evidente que há um problema, pois, muitos prefeitos pagariam a folha dia 30, mas foi feriado bancário, alguns deixaram recurso para prefeito eleito, outros não”, explicou o presidente.

Continua depois da publicidade

O diretor do Departamento de Assuntos das Bases Municipais do Sintese, Uilson Meneses Hora, defende que na próxima reunião sejam esclarecidos todos os pontos incertos e que a questão possa ser finalmente solucionada. “Nós estamos apreensivos porque já estamos no dia 6 e ainda não recebemos salário. O presidente ficou sabendo da situação nessa reunião e vai analisar a questão. Na quarta-feira, esperamos por respostas e que o resultado seja positivo para os professores e para a sociedade.”

“Queremos que os ex-prefeitos sejam multados e que as contas deles sejam rejeitadas, foram eles os responsáveis pelo atraso”, comentou o sindicalista do Sintese. O município de Aracaju não consta da relação do Sintese, mas o ex-prefeito João Alves Filho também deixou o salário de dezembro e parte do 13º salário em atraso.

Ascom TCE/SE

Tópicos Educação, Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade