A dura realidade dos pacientes que lutam contra o câncer em Sergipe

Saúde | 04/11/2016 10h40 - Atualizada às 04/11/2016 10h43

O Profissão Repórter, da Rede Globo de Televisão, esteve nos estados de Minas Gerais, Sergipe e Distrito Federal, onde gravou relatos de pacientes que lutam contra o câncer.

(Foto: Reprodução/TV Globo)

(Foto: Reprodução/TV Globo)

Em Sergipe, Mayara Teixeira foi até Aracaju conhecer mulheres que mandaram vídeos com os relatos da luta por um tratamento na cidade. Elas fazem parte da ONG Mulheres de Peito, um grupo de mulheres que luta contra as interrupções das quimioterapias realizadas no Hospital de Cirurgia, um dos principais da capital sergipana. O diretor do hospital alega que repasses atrasados do Estado e da Prefeitura causam o corte no fornecimento de remédios.

“Infelizmente meu tratamento nunca deu continuidade e, por conta disso, oito anos depois eu descobri uma metástase no osso do meu quadril e tive que voltar todo o tratamento”, conta Norma Jeane, integrante da ONG Mulheres de Peito.

Continua depois da publicidade

Alguns tratamentos ainda não terminaram por causa da lentidão e dos problemas do hospital. A dona Maria José Barreto, integrante do Mulheres de Peito, conta que sempre teve a ideia de que o “câncer é o caminho da morte”. Ela chegou a ficar três meses sem remédio.

Clique aqui para assistir o programa.

Tópicos Saúde, Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade