Presidente do SINDIBRITO sofre agressões verbais e novas ameaças

Campo do Brito | 22/12/2015 16h40 - Atualizada às 22/12/2015 16h42

Na manhã dessa segunda-feira, dia 21/12, Lucinara Alves, presidente do Sindicato de Servidores Públicos de Campo do Brito (SINDIBRITO), filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), novamente foi vítima de agressões verbais acompanhadas de ameaça de morte e à sua integridade física.

Desta vez a agressão foi praticada no próprio prédio da Prefeitura Municipal e teve como testemunha o dirigente sindical Givaldo e a filha de 10 anos que presenciou toda a cena, tendo ficado assustada e em estado de choque. Há dois meses a casa de Lucinara Alves (SINDIBRITO) e Zé Carlos (SINTESE), dirigentes sindicais e pais de duas meninas, foi alvejada com seis tiros num atentado que atingiu o portão e o automóvel da família.

A autora das ameaças, uma trabalhadora de Cargo Comissionado na Prefeitura, chegou a garantir que a presidente do SINDIBRITO não continuará a salvo. A autora das agressões verbais insistiu em não entregar a Givaldo os documentos referentes aos repasses de contribuição sindical dos servidores públicos de Campo do Brito e chegou a exigir que a própria Lucinara fosse à Prefeitura para pegar tais documentos, na ocasião em que foi ameaçada.

Na mesma manhã, Lucinara e Givaldo registraram as ameaças e agressões em Boletim de Ocorrência. “Ontem era aniversário de minha filha, ela não merecia ter sido vítima de mais esta agressão… Esta mulher chegou a falar na frente da minha filha ‘que os tiros não deviam ter sido na minha casa, mas na minha cabeça’. Há mais de 60 dias balearam nossa casa, até agora ninguém foi preso e continuamos sofrendo ameaças de morte e de agressão durante o exercício da atividade sindical. Confesso que já não sei mais o que fazer…”, declarou Lucinara Alves.

Continua depois da publicidade

Em solidariedade à companheira agredida e ameaçada, a Central Única dos Trabalhadores produziu uma Nota de Solidariedade e já articula a construção de um novo protesto cobrando a punição dos criminosos autores do atentado e demais agressões para impedir o livre exercício da atividade sindical.

NOTA DE SOLIDARIEDADE à presidente do SINDIBRITO Lucinara Alves

FONTE: CUT/SE

Tópicos Campo do Brito, Policial
Mais Recentes
Comentários
Publicidade