Sergipe terá 1.127 policiais a mais nas ruas do estado até o final deste ano

Sergipe | 28/08/2015 12h44

Até o final de 2015, os sergipanos contarão com 1.127 policiais a mais nas ruas do estado. São militares e civis aprovados nos últimos concursos realizados pelo Governo do Estado. Em janeiro, 657 novos PMs da primeira turma aprovada foram integrados a Corporação, outros 350 realizam o curso de formação da segunda turma, previsto para concluir em janeiro, mas com estágios nas ruas a partir deste ano. Já na próxima sexta-feira, 28, o Governo do Estado realiza a aula inaugural do Curso de Formação dos aprovados no último concurso da PC, garantindo o reforço necessário para aumentar a segurança pública em Sergipe.

O Curso de Formação para Agentes de Polícia Judiciária e Escrivães Substitutos do Concurso Público da Polícia Civil de Sergipe constitui a terceira etapa do concurso lançado em setembro de 2014, e prevê o preenchimento de 100 vagas para Agente de Polícia Judiciária Substituto e 20 vagas para Escrivão Substituto. A fase é eliminatória e classificatória e visa garantir aos candidatos aquisição de conhecimentos necessários para atuarem na segurança pública de forma a desenvolver o melhor serviço para sociedade sergipana.

“O Governo vem trabalhando muito para possibilitar fortes investimentos para a Segurança Pública do Estado, para levar maior segurança a todos os sergipanos”, explicou o secretário de Estado da Segurança Pública, Mendonça Prado.

Segundo a agente convocada, Taíse Corrente, as etapas servem para selecionar os profissionais e oferecer melhor qualificação ao serviço prestado à sociedade. “Esses filtros levam a escolher os melhores, aqueles que irão vestir a camisa da instituição e trabalharão com afinco. Espero conseguir, de fato, cumprir meu papel como agente da lei na elucidação dos crimes, o que é importante para diminuir a impunidade”.

Continua depois da publicidade

Formada em História, pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), mãe de dois filhos, aos 30 anos, Taíse não mediu esforços para realizar o desejo de fazer parte da Polícia Civil do Estado. “Meu pai é policial civil e meu irmão policial militar. Meu pai sempre foi uma inspiração por ser um homem integro e admirável pelo que faz. Sempre gostei muito da área, pois acho muito bonita a atuação do Policia Civil. Quando soube que fui aprovada foi muita alegria, afinal a Policia Civil de Sergipe é uma das melhores instituições do Nordeste. Tenho muito orgulho de participar desta instituição. A expectativa é que o curso consiga nos preparar para atuar na área policial dando o embasamento para servirmos a sociedade da melhor forma possível”.

O delegado geral da PC, Everton Santos,explica que o curso de formação se desenvolverá em dois meses na Academia de Polícia Civil de Sergipe (Acadepol), com um corpo docente não só da Polícia Civil, mas também das polícias Militar e Federal, assim como peritos. “O curso de formação será bastante dinâmico e terá o objetivo de trazer a maior parte de matérias de investigação policial, tiro e mais a parte técnica de polícia investigativa que é a nossa razão de ser como polícia judiciária. É um curso voltado para a formação técnica de um agente investigador de Polícia. A Academia está preparada para desenvolver estas tarefas e vamos buscar o máximo de informações práticas para serem repassadas para eles”.

Para o curso foram convocadas cinco vezes o número de vagas disponíveis no certame, ou seja, 500 pessoas para agentes e 100 para escrivães. O curso terá 360h/aula, e acontecerá na Academia de Polícia de Sergipe, sob a coordenação do delegado Jocélio Fróes, e tem como objetivo preparar os candidatos a se tornarem policiais capacitados a elucidar crimes.

“Teremos a abertura do curso na sexta à noite, às 19h, no Teatro Tobias Barreto, com a palestra do general de divisão brasileiro José Luiz Jaborandy, que entre outras funções desempenhadas na sua carreira foi comandante militar da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah). Após a abertura, já na segunda-feira, 31, os alunos serão convocados a comparecerem na Academia para receberem o que chamamos de ‘enxoval’, que inclui roupas para as atividades do curso e o material de manejo de arma de fogo. Depois de resolver a parte administrativa, as aulas começam efetivamente na quarta-feira, pela manhã, já com treinamento tático operacional inicial de conduta na atividade fim, que é a atividade de polícia”, afirma o diretor da Acadepol/SE, Jocélio Fróes.

Aumento do efetivo

De acordo com o delegado geral Everton Santos, o efetivo atual da PC está em torno de 1.200 homens, com a chegada dos 120 novos integrantes a instituição contará com acréscimo de 10% do efetivo. “Mas a gente formará um número de candidatos cinco vezes maior, para que no decorrer do tempo possamos cumprir esta lacuna. Imediatamente será priorizado o número do edital, mas quando o Estado equilibrar sua saúde financeira a tendência é haver mais convocações”.

Ainda segundo o delegado geral, novos escrivães e agentes serão lotados no interior do estado.“Eles serão subordinados à Coordenadoria do Interior e principalmente às delegacias regionais dos grandes centros. A gente vai fazer um trabalho de controle da violência aliado ao trabalho preventivo e investigativo da Polícia Civil. A chegada desses novos agentes e escrivães dará um gás ao trabalho, pois uma tropa rejuvenescida, com mais disposição, com vontade de trabalhar e querendo aprender, o que é o mais importante, dará uma nova roupagem à polícia judiciária”.

Também aprovado no concurso da PC, Lucas Rosário, destaca a importância da Polícia Civil para a colheita de provas e colaboração “Sempre tive vontade de fazer parte da Polícia Civil, que é a polícia judiciária do Estado. Com a formação dessa nova turma, acredito que o nível de segurança no estado irá ser muito melhor. Uma polícia judiciária forte fortalece o sistema de Justiça e o sistema penal, resultando em uma menor impunidade para aqueles que cometem crimes em Sergipe.Acredito que esses jovens ingressos, alguns já com experiência na área jurídica, contribuirão para gerar uma melhor sensação de segurança para população de Sergipe”.

Investimentos em segurança

Além da contratação de novo efetivo, tanto na polícia civil quanto militar, o estado investe mais de R$ 70 milhões em diversas ações, dentre elas compras de equipamentos, reformas de delegacias, aquisição de 32 unidades móveis, micro-ônibus e delegacias itinerantes, além de montagem de laboratório de DNA e toxicologia.

No último dia 12 de agosto, visando oferecer maior integração e agilidade nos atendimentos à população,o Governo do Estado anunciou a implantação do novo sistema digital de rádio comunicação. A moderna ferramenta apresentada é fruto de um investimento superior a R$ 24 milhões que possibilitará o compartilhamento imediato de informações entre Bombeiros, Polícias Civil e Militar e Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp), por meio de redes específicas.

O projeto de implantação prevê que, até maio de 2016, todo o estado esteja integrado digitalmente. Para tanto, ele vai contar com 01 central, 15 estações de rádio base integradas ao Ciosp, 389 terminais fixos, 971 terminais veiculares com localização GPS, 1659 terminais portáteis e 15 consoles de despacho. A instalação será executada pela empresa espanhola Teltronic, que tem mais de 15 anos de atuação do país, e será a responsável também pela conversão do sistema analógico para o digital.

ASN

Tópicos Policial, Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade