HUSE detecta bactéria resistente e três pacientes estão infectados

Saúde | 05/06/2015 19h25

huse-Hospital-de-Urgencias-de-Sergipe

Microbiologistas do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse) detectaram uma bactéria resistente a tratamento com antibióticos em pacientes internados na UTI da unidade de saúde. Três pacientes estão infectados com a bactéria e dois estão colonizados – estado em que a bactéria atingiu o paciente, mas ainda não houve a infecção.

De acordo com a superintendente do Huse, Lícia Diniz, a constatação da bactéria aconteceu no dia 27 de maio. Desde então, medidas estão sendo tomadas para preservar a saúde dos pacientes. “Quando descobrimos fizemos exames em todos os pacientes. Aqueles que tiveram a bactéria detectada, iniciamos o tratamento com medicação de alta performance e intensificamos ainda mais os procedimentos de higiene”, afirma.

Uma das UTI´s do Huse foi isolada com os pacientes infectados e colonizados que passam por tratamento. A outra UTI abrange os pacientes não infectados. Segundo a superintende do Huse, uma UTI emergencial funcionará na sala de internamento pós-cirúrgica. O local será destinado a atender pacientes que precisem ser encaminhados para a Unidade de Terapia Intensiva.

Continua depois da publicidade

A bactéria chamada Klebsiella é persistente a muitos antibióticos, mas sensível ao tratamento realizado com Micassina. De acordo com o coordenador de UTI´s do Huse, Flávio Prado, a bactéria é contagiosa apenas em pessoas que passam por tratamento de antibiótica. “Pessoas saudáveis não correm o risco de infecção. Apenas os enfermos podem ser contagiados pelo toque”, diz.

Mesmo com a vigilância intensiva nas UTI´s, o coordenador Flávio, alerta que existe o risco de disseminação da bactéria. “A possibilidade existe, mas estamos em alerta. O acesso à UTI está restrito justamente para que a bactéria não se prolifere. Estamos monitorando os pacientes infectados e realizando o tratamento com muita seriedade”, ressalta.

A estimativa é que a situação se normalize no período de 30 a 60 dias.

Com informações do A8SE.

Tópicos Saúde, Sergipe
Mais Recentes
Comentários
Publicidade